Como atuar na área de odontologia hospitalar depois de formado?

Publicado em 02/02/2022 00:00 - Atualizado em 09/08/2022 17:20

Logo depois de se formar na faculdade, é normal surgir um período de dúvidas. Dentistas, por exemplo, veem um leque bastante amplo de possibilidades aparecer. Muitas vezes esse processo pode parecer repentino, inclusive. E entre as áreas mais interessantes está, com certeza, a odontologia hospitalar.

País com maior número de profissionais da odontologia no mundo, o Brasil exige que os dentistas se diferenciem. Busquem fugir do padrão. E seguir o caminho da odontologia hospital representa uma excelente escolha. A rotina dentro de um hospital demanda características distintas, e é um trabalho desafiador.

Para saber mais sobre como ingressar nesse ramo da profissão, continue conosco. Ao longo do post, explicamos a fundo no que consiste a odontologia hospitalar, quais são as principais peculiaridades e mais. Leia!

Mas afinal, o que é a odontologia hospitalar?

O nome deixa bem claro, portanto facilita bastante a explicação. De qualquer maneira, vale enfatizar que a odontologia hospital consiste em trabalhar nos cuidados referentes à saúde bucal de pacientes internados em leitos. E o principal: quase sempre essas pessoas que precisam de atenção atravessam situações mais críticas.

Quem atua nesse ramo sabe que precisa enfrentar constantemente Unidades de Terapia Intensiva (UTIs). Pode parecer um pouco peculiar, porém dentistas têm muita relevância em circunstâncias assim. Desde 2015, aliás, o Conselho Federal Odontologia (CFO) reconhece o âmbito hospitalar como um campo natural da profissão.

Já que saúde bucal significa, entre outras coisas, qualidade de vida, o papel do profissional dentro de hospitais ajuda a reduzir o período de ocupação dos leitos, em geral. Casos de infecção também tendem a cair. E mais: já que diversas enfermidades preocupantes transmitem o primeiro sinal na região da boca, a identificação precoce auxilia no tratamento, que ganha velocidade e eficiência, e ainda custa menos.

Como ingressar na área?

Uma vez formado na graduação em odontologia, o profissional deve investir em um curso para se especializar no segmento hospitalar. Entretanto, é importante ressaltar a necessidade de, desde o começo da faculdade, formar bases sólidas para dar os primeiros passos no ramo.

A realização de estágios na área já ajuda bastante. Projetos de pesquisa, tão comuns para dentistas em formação ou graduados, também cooperam nesse sentido. A especialização representa a última etapa antes de estar realmente perto de ser um profissional do campo hospitalar. Em média, o curso tem duração total de 350 horas.

Quais são as principais funções do dentista hospitalar?

Ok, mas e na prática? O que faz um profissional da odontologia no hospital? Continue conosco por aqui e saiba mais a fundo a respeito dessa atividade. São duas tarefas que se destacam: diagnóstico e prevenção de enfermidades. Entenda melhor.

Diagnóstico de doenças

A utilização de inúmeros tipos de medicamentos pode resultar na aparição de uma série de problemas. É algo comum no ambiente hospitalar, e faz parte dos tratamentos. O dentista, então, precisa avaliar a boca do paciente para identificar possíveis enfermidades. Afinal de contas, sem diagnóstico não há cura.

Cirurgias também podem se fazer necessárias, caso das buco-maxilares. Pode ser preciso, ainda, realizar práticas como alisamento, raspagem e extração de dentes deteriorados.

Prevenção

Tártaro e cáries surgem com considerável frequência em pacientes internados em leitos de hospitais. E quanto mais longo é o período de internação, maiores são as chances desses problemas aparecerem devido ao acúmulo.

Na odontologia hospitalar, a higiene bucal representa uma das principais formas de prevenção, o que ajuda a eliminar infecções e, como consequência, várias doenças. Metodologias para garantir a saúde da boca envolvem também o cuidado com aparelhos ortodônticos e próteses, por exemplo.

Por que vale a pena optar pela odontologia hospitalar?

Ascensão da área, relevância da atuação, parte financeira… Existem diversos motivos para um dentista optar pela odontologia hospitalar. A seguir listamos algumas. Veja.

Salário atrativo

Não dá para esconder o papel importante do salário, mesmo que outros elementos também influenciem a felicidade pessoal e o sucesso profissional. Mas a média de valor recebido gira na casa dos R$ 8 mil reais, sempre variando conforme o cargo e a localização geográfica.

Esse montante se refere a uma carga horária aproximada de 20 horas por semana. Porém, vale lembrar que o profissional tem a oportunidade de integrar equipes multidisciplinares e cooperar para um atendimento bastante amplo aos pacientes.

Crescimento do mercado

Tanto no setor público quanto no privado, tem aumentado a consciência dos responsáveis pela formação de equipes hospitalares sobre a importância da atuação dos dentistas em UTIs.

Contribui para a curva ascendente o fato de que há poucos profissionais da odontologia que seguem esse caminho – ao menos por enquanto. Então a competitividade ainda não é tão grande quanto tende a ser daqui a algum tempo.

Relevância do serviço

Já mencionamos essa questão anteriormente no post: o trabalho do dentista dentro do ambiente hospitalar é essencial. Afinal de contas, pacientes sob muitos cuidados apresentam condição inferior de atenção básica à saúde bucal.

A fragilidade cresce, de maneira geral. O sistema imunológico fica menos eficiente e, como resultado, sobem as chances de aparecerem vírus, fungos, bactérias e outros problemas na cavidade oral. Isso gera contratempos sistêmicos, começando pela boca.

Diferencial profissional

Essa razão pode ser a principal para muita gente definir o caminho a seguir na carreira. Quem não pretende garantir um diferencial em relação aos colegas? A especialização em odontologia hospitalar, conforme já observamos, não é das mais comuns ainda.

Partindo do princípio de que existem muitos dentistas no Brasil, como mostra o dado visto no início do post, encontrar uma forma de se distinguir é crucial para o sucesso profissional e financeiro. O Conselho Federal de Odontologia estima, inclusive, que a cada cerca de 670 pessoas morando no nosso país, uma é dentista. A capacitação, portanto, desempenha função decisiva.

Conforme observamos ao longo deste conteúdo, a odontologia hospitalar pode ser um dos melhores caminhos para profissionais novatos – e experientes também, por que não? Existem muitos benefícios e um prognóstico positivo para o futuro próximo, o que significa que trabalhar no ambiente de hospital é útil, valioso, recompensador e bom sob a ótica do crescimento pessoal.

E então, o que achou do post? Ficou com dúvidas sobre esse segmento da profissão? Tem algo a acrescentar? Deixe um comentário!